Roteiro de 3 dias em FOZ DO IGUAÇU

Animais da fauna brasileira, uma das sete maravilhas naturais do mundo, uma das sete maravilhas da engenharia, Mata Atlântica e muitas possibilidades de aventura. Independentemente de qual seja seu roteiro isso é apenas parte do que vem no “pacote” da sua visita em Foz do Iguaçu.
Pensando nisso o EXPEDIA BRASIL desafiou o blog a elaborar um roteiro de três dias com a programação completa, incluindo hospedagem e dicas de restaurantes que vão tornar sua viagem inesquecível!!

Foz do Iguaçu é um paraíso que ocupa o terceiro lugar no ranking de cidades que mais recebem turistas estrangeiros e cai cada vez mais no gosto dos brasileiros que procuram um destino focado em ecoturismo e natureza. O Parque Nacional do Iguaçu e o Parque Iguazú, onde cada margem do rio fica em um país (Brasil e Argentina respectivamente) tem atrações para pelo menos dois dias: trilhas, mirantes, rapel, passeio de helicóptero, salto de paraquedas, Macuco Safari, um restaurante em frente as Cataratas e tudo isso com a bela presença da natureza! O Refúgio Biológico e o Parque das Aves, referência em arquitetura verde seguem a risca o lema de conhecer, respeitar e proteger a fauna e preservar a Mata Atlântica. Não menos interessante, o Complexo turístico de Itaipu, uma fantástica obra que teve suas instalações construídas por cerca 40 mil homens no auge da sua construção e uma das maiores geradoras de energia limpa e renovável do planeta. Quer saber mais? Então leia abaixo uma sugestão completa de roteiro para Foz do Iguaçu.

DIA 1
Refúgio biológico pela manhã e Usina de Itaipu à tarde. Tudo começa na própria Usina da Itaipu, responsável pelo Refúgio onde a partir do momento que cruzamos a entrada não estamos mais no Brasil e sim em uma área independente dentro de duas nações soberanas: Brasil e Paraguai, daí o nome Itaipu Binacional. O local segue sua própria Constituição, estabelecida no Tratado de Itaipu em 1973.

Entrada de Itaipu Binacional  e do Refúgio

Entrada de Itaipu Binacional e do Refúgio

Mas porque um Refúgio Biológico dentro de Itaipu? Na época na inundação para construção do reservatório, apesar dos esforços em realocar os animais, muitos deles sofreram com as mudanças do ambiente e proximidade com o homem. Então o papel desse local é proteger os animais, dar assistência veterinária quando necessária e realizar pesquisas para melhorar seu habitat.

A caminha da entrada do Refúgio

A caminha da entrada do Refúgio

Muito verde!

Muito verde!

O passeio começa com uma trilha de 2,5 km com área demarcada dentro de uma floresta de Araucária (um encontro de Biomas: Mata Atlântica, Serrado, Pantanal, Bioma dos pampas) que representa a área de reflorestamento ambiental onde é possível ver árvores frutíferas, sementes, animais, uma área de conservação e pesquisa e alguns animais selvagens. Engana-se quem refuta a ideia da visita achando que o Refúgio é um zoológico. Não é. O Refúgio é um espaço que trata dos animais que já foram livres um dia, mas que estão debilitados e não têm mais condições de viver na Mata devido a uma limitação física ou ao grande período em reabilitação que os tornou vulneráveis. Dentre os seus moradores destacamos a jaguatirica, Gavião de cauda branca, urubu rei, tamanduá, quati, araras, jabuti, capivara, cascavel e jararaca entre outros.

O carro que leva pro início da trilha

O carro que leva pro início da trilha

O guia e a trilha

O guia e a trilha

Parte da Mata que restou e  área que virou reservatório

Parte da Mata que restou e área que virou reservatório

A trilha é demarcada e entra Mata adentro

A trilha é demarcada e entra Mata adentro

Urubu rei, um dos ilustres moradores do Refúgio

Urubu rei, um dos ilustres moradores do Refúgio

DSC_0225

Área focada em cobras que foram resgatadas

Área focada em cobras que foram resgatadas

DSC_0263

DSC_0266

DSC_0273

Em seguida partimos para a visita Circuito especial em Itaipu. A Usina que levou 16 anos para ser construída e gera 17% da energia consumida no Brasil e 75% da energia consumida no Paraguai.
As Curiosidades que falam por si só:
- O prazo do contrato de Itaipu é 2023. Ou seja, antes desse ano um novo planejamento para Usina deverá ser feito.
– O custo da energia produzida lá é de 49 dólares por megawatt.
– A barragem principal tem 100 metros de altura.
– A sala de comando, ainda que seja a mesma, tem o lado brasileiro e o lado paraguaios com seus respectivos funcionários.
– 30% do faturamento da Usina paga os custos operacionais (funcionários, manutenção, operação) e 70% são usados para pagar o empréstimo da sua construção.
– E qual faturamento anual da Usina? Aproximadamente 3,5 bilhões de dólares.
– O complexo Hidrelétrico de Itaipu é considerado uma das sete maravilhas da engenharia moderna.

Itaipu

Itaipu

Vista panorâmica dos reservatórios

Vista panorâmica dos reservatórios

DSC_0291

DSC_0293

Chegando na barragem principal

Chegando na barragem principal

DSC_0307

Vista de cima da barragem

Vista de cima da barragem

Ônibus que faz o passeio

Ônibus que faz o passeio

A entrada da Usina para visita interna

A entrada da Usina para visita interna

DSC_0327

DSC_0341

DSC_0363

Sala de controle com lado Brazil e Paraguai

Sala de controle com lado Brazil e Paraguai

O gerador principal

O gerador principal

Como chegar: a Usina de Itaipu fica a 12km do centro de Foz. De ônibus a linha “Conjunto C Norte” ou “Conjunto C Sul” passam lá saindo do terminal central da cidade. Para quem for alugar carro basta um GPS que chega-se lá facilmente (o estacionamento custa 5 reais). Ou ainda se quiser mais conforto, solicite um taxi do seu Hotel.

Ingressos: O Refúgio custa R$ 20 (De 08:30 as 15:30) e o Circuito especial de Itaipu R$ 68 (Das 08:00 as 16 hs). Também existe a opção de visita panorâmica que custa R$ 27 e é mais curta. Ambos os ingressos aceitam meia entrada e no ato da compra deve-se escolher o horário de cada atração (Recomendo escolher o Refúgio a parte da manhã, pois se o tempo mudar e chover a visita de tarde pode ser cancelada).

Almoço: No intervalo do tour entre o Refúgio e a Usina, vale um almoço rapidinho no restaurante que fica na entrada principal. Os pratos variam de 25 a 18 reais.

De noite: Uma comida gostosa e ambiente aconchegante você encontra no restaurante Vó Bertila. Um italiano muito procurado e um ótimo custo benefício. As pizzas variam de 26 a 59 reais (pequena, média ou grande), Nhoque 29 e 49 (meio e inteiro), Risoto por 66 reais e sobremesas entre 8 e 15 reais.

Vo Bertila, uma delícia de lugar

Vo Bertila, uma delícia de lugar

DSC04703

O ambiente

O ambiente

DIA 2
O segundo dia começa com a visita ao Parque das aves, que se propões a dar abrigo a animais que foram resgatados e entregues pelas autoridades ambientais após tentativas de tráfico, cativeiro ilegal ou péssimas condições de tratamento. Além de não recusarem nenhuma ave eles também promovem a reprodução de certas espécies para reintegração na natureza. A parte mais incrível dessa visita é a chance de ver de perto e ter contato com esses animais dentro de viveiros gigantes e super bem equipados, é maravilhoso!!!

CSC_0389

Linda demais!

Linda demais!

CSC_0397

CSC_0482

CSC_0567

DSC_0412

Um dos viveiros gigantes

Um dos viveiros gigantes

DSC_0429

DSC_0439

DSC_0450

DSC_0457

Um trio de araras

Um trio de araras

Em frente ao Parque das Aves fica a entrada do Parque Nacional do Iguaçu. O lugar é de uma organização incrível e não é possível transitar lá dentro no seu próprio veículo. Passando pela bilheteria pegamos um ônibus que nos leva as principais paradas do Parque: a Estação Poço Preto (trilha), depois a parada Macuco Safári (passeio de barco até as quedas), Trilha das Cataratas (início da passarela e onde se faz o rapel) e Porto Canoas (fim da passarela). É possível descer em qualquer uma delas caso você tenha pago por uma das atrações ou queria simplesmente conhecer.

Dicas importantes para conhecer as Cataratas:
- Vá com um calçado que possa molhar mas que seja firme no pé para evitar escorregar, dependendo da vazão de água você sairá de lá totalmente molhado.
– Leve capa de chuva, pelo mesmo motivo acima (Essa dá pra comprar logo na entrada do parque por 5 reais).
– Se sua máquina tiver uma protetor melhor, antes de chegar na Garganta do Diabo você já estará completamente molhado.
– Leve uma tolha ou outra peça de roupa continuar seu passeio seco e confortável (eu não levei mas dei sorte de minutos depois ter aberto sol, o que me ajudou a secar para o resto do dia).

Entrada do Parque

Entrada do Parque

Filas para pear o ônibus que faz o transporte interno

Filas para pear o ônibus que faz o transporte interno

Área interna do parque, cheia de verde!

Área interna do parque, cheia de verde!

Primeira visão das cataratas

Primeira visão das cataratas

As quedas são realmente impressionantes!!!!

As quedas são realmente impressionantes!!!!

Algumas menores mas ainda sim incríveis

Algumas menores mas ainda sim incríveis

DSC_0545

Muita água!!!

Muita água!!!

DSC_0541

Pequena trilha que desce até a garganta do diabo

Pequena trilha que desce até a garganta do diabo

DSC_0553

Capa de chuva e roupas leves são recomendáveis

Capa de chuva e roupas leves são recomendáveis

E no final do passeio o sol resolveu aparecer e deixou tudo ainda mais lindo!

E no final do passeio o sol resolveu aparecer e deixou tudo ainda mais lindo!

DSC_0577

Dois passeios extras que fiz depois do almoço foram: o rapel e o passeio de helicóptero. No rapel vale a vista inusitada das cataratas, mas fiquei decepcionada porque esperava um rapel convencional pelas pedras e etc. Na verdade ele é feito em uma estrutura de ferro de 55 metros de altura e você faz a descida sozinho controlando os movimentos, achei meio assustador (apesar de toda assistência que me deram) e não sei se faria de novo (Custou R$ 85 reais aproximadamente).

A plataforma que leva até o local do rapel

A plataforma que leva até o local do rapel

DSC_0587

A altura

A altura

Em compensação o passeio de Helicóptero mesmo sendo mais caro é realmente imperdível! O voo sobrevoa a garganta do Diabo nos dá uma ideia da extensão dos rios que levam a formação dela, é realmente lindo e vale muito a pena! (Custo de R$ 285 e duração de 10 minutos).

Uma vista maravilhosa das Cataratas

Uma vista maravilhosa das Cataratas

DSC_0605

DSC_0625

Os rios

Os rios

DSC_0634

Como chegar: Um ônibus sai do centro de Foz até o parque de 05:25 da manhã até 00:00hs com partidas a cada 22 minutos. Para quem estiver de carro, basta pegar a Rodovia das Cataratas KM 469 (é bem sinalizado).

Ingressos: Parque das Aves R$ 24 (De 08:30 as 17 hs) ; Parque Nacional R$ 31 (Adultos, crianças e idosos pagam somente R$ 8. Entrada de 9h às 17h). E dá para comprar tudo pela internet!

Almoço: Dando um intervalo no passeio, o Restaurante Porto Canoas oferece um visual maravilhoso das cataratas, bem pertinho da garganta do diabo. É possível fechar direto com o restaurante (reservas@catarataspni.com.br) OU se você quiser ir no embalo de comprar outros passeios, a Combo Iguassu é uma boa sugestão pois junta várias opções e dá um pequeno desconto no valor final (R$ 45).

Restaurante Porto Canoas

Restaurante Porto Canoas

Vista do restaurante

Vista do restaurante

De noite: Que tal uma passadinha na Argentina para o jantar? A melhor opção dessa viagem foi alugar um carro e ficar livre para rodar por onde e quanto tempo tivesse vontade. É muito fácil se locomover por lá, tudo muito sinalizado (os carros da Localiza vem com GPS) então não tem erro. Fomos jantar no restaurante La Vaca Enamorada, um lugar diferente que não tem cardápio. Quer dizer, até tem mas o dono prefere vir na sua mesa e falar pessoalmente os pratos e dar as recomendações do dia. O lugar tem apenas 10 mesas de 4 lugares então chegue cedo. O custo benefício do local é ótimo e a comida uma delícia (Meu prato de nhoque custou cerca de 30 reais).

La Vaca Enamorada

La Vaca Enamorada

DSC04815

Nhoque caseiro mas gostoso

Nhoque caseiro mas gostoso

DIA 3
O Parque Nacional do Iguazu, no lado argentino, oferece outro tipo de estrutura mas nem por isso menos divertido. Anda-se muito mais, mas as trilhas no meio da Mata que passam muitas vezes por cima de várias quedas fazem valer a pena. Outra locomoção necessária é o trenzinho que deixa os turistas nas áreas chave do Parque para continuar as trilhas e tem aproximadamente 20 minutos de intervalo de saídas. O ponto final é na garganta do diabo, que diferente do lado brasileiro onde a visita é na parte de baixo, dá uma ideia melhor das Cataratas como um todo pois vemos tudo de cima. Achei muito legal a ideia de trilhas que ficam debruçadas em partes das cataratas, apesar de cansativo, vale a pena toda a andança! (Para quem quiser uma molezinha a mais a empresa Iguazú Jungle tem o tour Gran Aventura, que inclui um transporte extra e uma caminhada bem mais curta).

A entrada do Parque

A entrada do Parque

Inicio de uma das trilhas para ver partes diferentes das cataratas

Inicio de uma das trilhas para ver partes diferentes das cataratas

DSC_0668

DSC_0678

Algumas paradas levam pertinho da queda

Algumas paradas levam pertinho da queda

E subindo

E subindo

No final de certas partes da trilha, a única forma de continuar é por esse trenzinho.

No final de certas partes da trilha, a única forma de continuar é por esse trenzinho.

O caminho

O caminho

Cada trilha tem uma visão diferente e é uma constante descobertas de  quedas e paisagens

Cada trilha tem uma visão diferente e é uma constante descobertas de quedas e paisagens

Incrível essa sensação de sobrevoar as águas

Incrível essa sensação de sobrevoar as águas

Algumas trilhas ficam literalmente acima da água e quando a vazão de água está forte elas precisam até ser interditadas.

Algumas trilhas ficam literalmente acima da água e quando a vazão de água está forte elas precisam até ser interditadas.

Essa leva até a Garganta do Diabo

Essa leva até a Garganta do Diabo

Quase lá...

Quase lá…

DSC_0754

Só não dá tontura ver a queda por conta da fumaça de água, mas dá para ter noção de como é alto!!!!

Só não dá tontura ver a queda por conta da fumaça de água, mas dá para ter noção de como é alto!!!!

Um visita em Foz não é completo sem fazer o Macuco Safari (Por ARS 220). Ainda que esse passeio também tenha do lado brasileiro recomendo que seja feito pelo argentino por 2 motivos: muito mais barato e muito mais emocionante (vai super perto das quedas). Fechei com a Macuco Tours S.R.L. fazendo tudo por email e não teve erro. Então quando chega-se no Parque basta apresentar o voucher no estande da Iguazú Jungle que fica na entrada e pegar os ingressos. Para esse passeio vá preparado para um banho, eles fornecem uma mochila que é impermeável e o ideal é ir bem confortável sem se preocupar com suas coisas molhadas. Também recomendo levar uma peça de roupa extra ou toalha para usar depois do passeio.

As tarifas dos passeios

As tarifas dos passeios

A escada que dá acesso a plataforma de embarque

A escada que dá acesso a plataforma de embarque

Embarcando

Embarcando

A plataforma

A plataforma

O início da aventura

O início da aventura

Como chegar: Muitos hotéis oferecem transporte e indicam taxis e agências. Se for de carro, escolha Localiza ou Hertz que têm carros que podem atravessar a fronteira.

Ingressos: Parque Nacional Iguazú ARS 200 (Preço para brasileiros. NÃO ACEITAM REAIS). Entrada de 8h às 18h.

Almoço: As instalações de almoço no lado argentino são mais precárias por isso indico levar lanches e comidinhas que caibam na mochila. Além disso, alguns lugares só aceitam pesos e se você pagar em real a cotação que fazem não fica muito justa. Resumindo: Leve pesos!

De noite: A churrascaria Rafain era indicada por 3 em cada 5 blogs que li. Parecia interessante a ideia de comer vendo um show e passar a noite por lá. Mas logo na entrada deu para perceber que lá é como se fosse uma parada obrigatória dos turistas estrangeiros já que dezenas de agências e hotéis o indicam por conta do show de danças latino americanas (que aliás foi bem bonito) e o famoso churrasco. O problema é que o restaurante em si está longe de ser uma boa experiência gastronômica. O Buffet estava muito confuso, uma comida remexida e preços de bebida eram altíssimos!!!! Outra coisa que não valeu foi fechar esse jantar direto com o Hotel com o transporte incluído. Não faça isso! Como o transporte é coletivo você não tem liberdade de ir embora quando quer e precisa esperar TODO o grupo que estava na mesma van com você ir embora também.

Rafain, não vale a pena

Rafain, não vale a pena

Como chegar em Foz: TAM, GOL e AZUL têm voos para Foz em torno de 600 reais (ida e volta) mas volta e meia é possível encontrar passagens pela metade do preço nas promoções relâmpagos das empresas. Fui de GOL e paguei em torno de 349 reais com taxas, ótima tarifa!

Onde ficar: O San Juan Eco Hotel tem instalações ótimas (Não tem elevador mas são apenas 2 andares) com muita área verde, piscina, parque para crianças, campo de futebol, estacionamento e muita tranquilidade. Os dois pontos mais positivos são: silêncio e localização. Fica super perto do aeroporto (e também da Localiza para os que foram alugar carro) e também perto das principais atrações.

San Juan Eco Resort

San Juan Eco Resort

As instalações

As instalações

IMG_5182

De noite

De noite

Se você planeja ficar mais de 3 dias em Foz do Iguaçu, confira aqui as dicas do Expedia Brasil!!!

Faça seu comentário
  1. Emilia 20/03/2015 às 17:04

    Sensacional!! Vou adorar fazer este passeio. Obrigada pelas suas dicas. Amei as fotos!!Bjs

    • Manu 24/03/2015 às 11:51

      Obrigada Emilia!! Foz realmente vale muito a pena! Se quiser mais dicas me avise.
      Bjos

  2. Paola 23/03/2015 às 00:14

    Manu, vc fechou esse pacote com o Expedia?? Qto foi mai ou menos? Pode fechar só hotel ou tem q ser tudo?
    Obrigada!

    • Manu 24/03/2015 às 11:57

      Paola, eu fiz tudo por minha conta mas o Expedia Brasil oferece um opção de pacotes que incluem até voo + Hotel + carro! Dessa forma daria para vc fechar algo parecido e ainda otimizar o custo por fechar tudo junto :)
      Bjos

  3. Jeferson 23/03/2015 às 00:29

    Oi, Manu! Parabéns pelas dicas! Pode me ajudar com uma dúvida? Vc foi ao Paraguai? Queria saber se vale a pena colocar mais esse passeio no roteiro. Desde já, muito obrigado! Abs, Jeferson.

    • Manu 24/03/2015 às 12:00

      Oi Jeferson! Eu não fui para o Paraguai, desisti no dia pois achei que poderia ser perrengue. Uma amiga disse que chegando lá os ambulantes batem no vidro do carro e tem um approach bem agressivo de venda kkkk. Junto com isso, pesquisei por lá e disseram que o melhor era ir com excursão pois indo de carro próprio poderia dar dor de cabeça com estacionamento e o próprio perigo mesmo.
      No mais, eu não incluí comprar no roteiro para essa viagem então acabei não priorizando Paraguai e resolvi ficar só em Foz e Iguazú mesmo.
      Espero que tenha ajudado!

      Bjos

  4. Lia Fonseca 23/03/2015 às 09:42

    Muito interessante seu post.
    Amei!
    Obrigada pelas dicas.bjs

    • Manu 24/03/2015 às 11:57

      Obrigada Lia! Volte sempre!

      Bjs

  5. Marcos 28/03/2015 às 14:46

    Ótimas as dicas dadas, depois delas, me decidi incluir esse roteiro nas próximas fėrias! Obrigado por todos os detalhes!

    • Manu 02/04/2015 às 11:59

      Obrigada MARCOS!! Espero que vc curta a viagem tanto quanto eu :)

      Bjos

  6. Andressa 26/05/2015 às 08:51

    Oi Manu, tudo bom?

    Adorei as dicas! Pretendo ir no feriado de 7 de setembro e fiquei com uma dúvida: dá pra ir sem carro? Vou sozinha e não dirijo :/

    • Manu 26/05/2015 às 11:58

      Oi Andressa!! Dá sim!! Para todos esses passeios vc pode contratar ou apenas o transporte de ida e volta (muitos hotéis oferecem) ou até mesmo fechar o pacote todo com uma agencia. Dá uma olhada no site de uma empresa chamada Loumar Turismo, nós fizemos algumas cotações com eles antes de optar por fechar o carro.

      Beijos!

  7. Jamile 09/06/2015 às 13:13

    oi Manu!!!! Estou me programando para ir a Foz no feriado do dia 02/11 e seu post me ajudou muitooo!!!!
    Uma dúvida… Foi tranquilo fazer o Parque das Aves e o Parque das Cataratas do lado Brasileiro no mesmo dia? Existe um tempo máximo para ficar dentro do Parque das Aves? Eu amooo Bicho, acho que vou querer ficar o dia todo lá dentro… rsrsrs

    • Manu 15/06/2015 às 11:32

      Oi Jamile!!!! É tranquilo de fazer no mesmo dia sim! Vc pode fazer que nem eu: cheguei no parque na HORA que ele abriu e fiquei lá até o almoço. Depois almocei no parque das cataratas e volta de 13 hs comecei o passeio nas cataratas, dá super certo!
      Não tem tempo máximo nao :)

      Bjoss

  8. Nery Contti Neto 13/06/2015 às 13:07

    Lindas fotos Manu! também escrevi sobre esse roteiro no meu blog, dá uma passada lá! beijo
    https://tenhominhaloucura.wordpress.com/2015/06/13/viagem-relampago-foz-do-iguacu-e-missiones/

    • Manu 15/06/2015 às 10:27

      Legal Nery!!! Vou dar uma conferida sim :)

      Bjos

  9. Roberta 27/06/2015 às 16:15

    Olá!
    Adorei suas dicas. Foram muito úteis. Gostaria de saber se vc tem alguma sugestão sobre o vale dos dinossauros. Vou levar meu filho de 2 aninhos e acho q rle vai amar. Muito obrigada.

    • Manu 30/06/2015 às 10:58

      Oi Roberta!! Poxa eu não conheço esse Vale dos dinossauros não, agora fiquei até curiosa! Depois que você for volta aqui para contar a experiência :)
      Bjos

  10. Daniela 14/07/2015 às 17:29

    Adorei as fotos, sou louca para conhecer Foz!

    Estou combinando com 2 amigas para irmos no mês de Agosto, iriamos na sexta a noite e voltaríamos na segunda de manhã, neste período curto o que você poderia nos indicar de passeio?

    Desde já parabéns pelo Blog, grata pela sua atenção..

    • Manu 15/07/2015 às 09:42

      Oi Daniela!!! Obrigada pela sua visita! Com um tempo reduzido assim eu concentraria tudo nas cataratas. Sábado dá para começar pelo Parque das aves e seguir para o Parque Brasileiro o dia todo. E domingo fecha a viagem com um passeio mais longo (pois o parque é maior) pelo parque de Iguazu, vale muito pena!!!

      Bjos :)

  11. Anna 03/08/2015 às 22:56

    Olá!!! Adorei a descrição das atividades, muito bem detalhadas!! Parece que estávamos com você na viagem! =)
    Gostaria de saber se há opções de transporte além do carro para o lado argentino das cataratas. Não tenho carro e o transporte lá seria todo de ônibus.
    Se souber alguma coisa também sobre transporte pra Argentina seria ótimo!! Estou querendo ir no famoso Ice Bar :D

    Obrigada!

    • Manu 19/08/2015 às 11:15

      Oi Anna!!! Vc pode verificar se seu hotel indica alguma empresa que faça transfer, quase todos usam esse recurso e é muito útil para quem não está de carro e nem pensa em alugar ;)
      Se seu Hotel não fizer, volta aqui que te passo por email o contato de uma pessoa que foi indicada por uma amiga, tá?

      Bjos

  12. Tatiane 25/08/2015 às 12:25

    Olá Manu, excelente as suas dicas!

    Estou me preparando para ir no feriado de novembro, vou ficar apenas 3 dias, montei um roteiro e estou com duvida sobre alugar o carro, amigas que ja foram me falaram que não é necessário, mais eu estou com medo por conta do tempo que vou ficar la, não sei se pra ganhar tempo seria melhor o carro, o que acha?
    Vc também não incluiu passeios como o catamarã e o icebar iguazu, acha que consigo fazer esses passeios?

    Obrigada!

19
Mar
2015